IDC prevê que despesas com TI ultrapassem os 3,25 mil milhões de euros em 2014

A IDC apresentou um estudo com as previsões de evolução do setor das TIC em Portugal em 2014 e revela que este ano, as despesas com TI devem ultrapassar os 3,25 mil milhões de euros.

Intitulado “Sinais de Recuperação Aceleram a Transformação Digital com Base na 3ª Plataforma”, este estudo revela ainda que o setor vai crescer cerca de 0,9% em relação a 2013, consequência da melhoria das condições da atividade económica que irá impulsionar o investimento em tecnologia por parte das empresas.

De acordo com o estudo, as prioridades de negócio no setor “traduzem-se em algumas áreas concretas de investimento em TI, mais especificamente, na adoção de serviços de Cloud Computing de forma a apoiar a internacionalização, aumentar a flexibilidade e eficiência dos processos, na implementação de projetos de mobilidade corporativa de forma a aumentar a produtividade dos colaboradores e melhorar o relacionamento com clientes, na renovação de alguma da infraestrutura tecnológica, assim como um crescimento nas soluções de segurança de informação e implementação de soluções de negócio (ERP e CRM).”

O relatório refere também que enquanto os mercados associados à 2ª plataforma vão apresentar um crescimento de 0,7% em termos mundiais e uma quebra de cerca de 5% em Portugal, os mercados ligados à 3ª plataforma, ou seja, ligados a mobilidade, a serviços cloud, às tecnologias sociais e de big data, vão crescer mais de 15% a nível mundial e em Portugal.

A IDC prevê também que, em 2014, a dimensão do “Universo Digital”, toda a informação digitalizada, criada, replicada e consumida no período de um ano, vai continuar a crescer a um ritmo de 50% ao ano até ultrapassar 6ZB (6 triliões de terabytes).

A empresa prevê ainda que em 2014 mais de 35% das empresas da Fortune 500 terão soluções integradas de social business, sendo que em 2017 esta proporção será de 80%. Em Portugal, onde existem cerca de 4,7 milhões de utilizadores do Facebook, “a IDC prevê que as organizações nacionais comecem a equacionar seriamente a utilização de ferramentas integradas de social business nos seus processos de negócio. Num recente inquérito da IDC em Portugal, verifica-se que a estratégia da maioria das organizações nacionais já contempla a utilização de redes sociais e apenas 30% das organizações não tem planos para adotar.”

Por Ana Rita Costa, in Call Center Magazine

11 de fevereiro de 2014